C3 Picasso GLX (m) – CarroHoje.com – Revista digital de automóveis.

CarroHoje.com – Revista digital de automóveis.

Fique por dentro dos lançamentos e notícias da indústria automotiva, competições, clássico s e mais sobre o mundo do carro.

A Citroën oferece muitas opções no segmento de monovolumes, começando com o modelo de entrada Xsara Picasso, que é vendido desde 2001, passando pelo C4 Picasso e chegando até o modelo mais luxuoso e mais caro, o C4 Grand Picasso (2008). Mas faltava um modelo diferenciado entre todas essas opções de tamanhos e acabamentos na gama da marca francesa. E pensando nisso, a Citroën começou a fabricar aqui o Aircross que foi uma adaptação ao original, vendido na Europa, o C3 Picasso, que acaba de chegar ao Brasil.

Lançado em maio deste ano, o C3 Picasso é uma alternativa para quem prefere ser mais discreto no transito, existe ainda a versão “aventureira” AirCross, que foi apresentado em setembro do ano passado. O C3 Picasso é vendido nas versões GL, GLX e Exclusive. Para o teste a marca nos cedeu à versão intermediária, GLX, com câmbio manual. O novo monvolume da Citroën usa a base do C3 hatch, e tem formas assimétricas, que devem ter sido inspiradas em um cubo, assim como os faróis, que foram herdados do conceito C-Lounge, um dos destaques da parte dianteira do carro.

Por fora, suas linhas retas se juntam as arredondadas, formando um desenho bem ousado, mas não inédito nesse tipo de carroceria, que tem se tornado muito comum entre algumas montadoras ultimamente. Destaque para a linha de cintura alta e ligeiramente ascendente no sentido da traseira, assim como as lanternas traseiras verticais e a ausência do estepe fixado na tampa na tampa traseira, que deixou as linhas muito mais limpas que apesar disso, chama muita atenção por onde passa.

Por dentro, o C3 Picasso não oferece muitas novidades, comparado ao AirCross. Estão lá os mesmos comandos, volante e detalhes de acabamento que imitam aço polido por toda parte, ponto positivo para o monovolume francês, que mostra um acabamento esmerado e de boa qualidade, apesar de utilizar plástico duro em algumas partes do interior, como nas portas e no painel central. Mas mesmo com esses pequenos deslizes o C3 Picasso é bem silencioso e aconchegante, tanto para o motorista e passageiro, que tem bastante espaço para as pernas e cabeça.

Um detalhe importante fica por conta da área envidraçada do monovolume, que tem a coluna A dividida, com vidro entre os dois pilares, que mata o ponto cego, problema presente na maioria dos modelos desse segmento. O modelo oferece todos os tipos de regulagens no banco do motorista, como de altura e distância do banco e da coluna de direção, além da posição alta de dirigir, que ajuda bastante no trânsito. Os comandos do painel são de fácil visualização e utilização, tudo ao alcance das mãos, o C3 Picasso fica devendo mais porta-objetos, principalmente no console central.

Em compensação, em outras partes do interior existem vários porta-trecos, encontrados principalmente nas laterais das portas dianteiras e traseiras, além da mesinha para lanche atrás dos bancos dianteiros. Já o porta-malas de 403 litros é suficiente para uma família de quatro pessoas e acomodam bem as bagagens, a parte ruim fica pelo peso da tampa na hora de abrir ou fechar o porta-malas, que exige um pouco mais de força.

Rodando com o carro, o C3 Picasso se mostrou bem acertado dinamicamente, a suspensão é macia e não transmite todas as irregularidades do piso para dentro do habitáculo, apesar de ser um pouco incomoda em alguns momentos do teste, pois a suspensão traseira é um pouco dura e barulhenta. Outro fator que atrapalhou o desempenho do teste foi o motor, sob o pequeno espaço do capô dianteiro, o C3 Picasso está equipado com mesmo propulsor do C3 hatch, ou seja, um 1.6 16V, que rende 113 com etanol e 110 cv com gasolina. Apesar de estar abastecido com álcool, o motor não se mostrou suficiente para empurrar os 1267 kg do monovolume. As acelerações são lentas e nas subidas mais íngremes, o carro sofre para chegar ao topo da rampa, mas nas retas o modelo desenvolve bem e agrada na dirigibilidade e no silêncio à bordo.

O volante tem uma excelente empunhadura e um desenho mais esportivo, com a parte inferior achatada, ao estilo dos modelos mais esportivos, o que não condiz com a proposta desse carro familiar. A suspensão calibrada deixa o motorista bem à vontade para enfrentar curvas mais fechadas, mantendo a estabilidade do C3 Picasso. Em conjunto com o motor, está o cambio manual de cinco velocidade, que é bem macio e não mede esforços para agradar o motorista na hora das trocas, notamos que a manopla poderia ser mais firme, pois existe uma folga que dá a impressão que o cambio vai soltar na sua mão, culpa do trambulador, que emite um pequeno barulho e da própria manopla, que dá a impressão de ser de plástico mais flexível. Em relação ao consumo, o C3 Picasso ficou devendo uma média melhor, abastecido com etanol, o carro manteve a média de 6,5 Km/l o tempo todo, rodando em trechos urbanos com o ar-condicionado ligado. Talvez na estrada e abastecido com gasolina o consumo melhore.

O C3 Picasso LX tem três anos de garantia e trás de série rodas de liga leve, faróis de neblina, rádio com comando no volante e vidros dianteiros e traseiros elétricos. Os airbags são opcionais, nas versões GL e GLX. A versão avaliada GLX manual sai por R$ 50.400, enquanto a automática, custa R$ 53.900. Seus principais concorrentes são: Chevrolet Meriva, Fiat Idea, Kia Soul e Honda Fit. Em resumo, para o que o C3 Picasso se propõe, a escolha dessa versão não vai deixar o consumidor na mão, o modelo é bem honesto para carregar uma família pequena, tanto no trânsito pesado, quanto em uma viagem mais longa.

[nggallery id=127]

*FICHA TÉCNICA:

Motor: dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas
Cilindrada: 1 587 cm3
Diâmetro x curso: 78,5 x 82 mm
Taxa de compressão: 11:1
Potência: 113/110 cv (A/G)
Torque: 15,8 mkgf (A); 14,5 mkgf (G)
Câmbio: manual, 5 marchas
Carroceria: monovolume, 5 portas, 5 lugares
Dimensões: largura, 172 cm; comprimento, 409 cm; altura, 163 cm; entre-eixos, 254 cm
Porta-malas/caçamba: 403 litros
Tanque: 55 litros
Suspensão dianteira: dianteira, McPherson
Suspensão traseira: barra de torção
Freios: disco (diant.), tambor (tras.)
Direção: hidráulica
Pneus: 195/55 r16
Peso em ordem de marcha 1267 kg
Equipamentos: duplo airbag, ABS, ar-condicionado, vidros, travas e retrovisores elétricos, computador de bordo, banco traseiro bipartido e sistema de som Pioneer
Opcionais: Airbags de tórax laterais dianteiros e navegador com tela integrada de 7 polegadas.
Preço: R$ 50.400 com câmbio manual e R$ 53.900 com câmbio automático

*Dados do fabricante

Texto e imagens: Marcus Lauria – Carpoint News

Compartilhe: