Toyota Hilux CD 4×4 SRV – CarroHoje.com – Revista digital de automóveis.

CarroHoje.com – Revista digital de automóveis.

Fique por dentro dos lançamentos e notícias da indústria automotiva, competições, clássico s e mais sobre o mundo do carro.

Toyota Hilux CD 4×4 SRV

Para ganhar fôlego diante da concorrência e manter a liderança nas vendas entre as picapes diesel, a Toyota resolveu dar um “tapa no visual” da picape Hilux para a versão. O facelift veio a calhar, deixou o utilitário mais moderno, seguindo a linha dos outros produtos da marca.

Usando como base o modelo lançado em 2005, a renovada picape chega com novos faróis, que exibem linhas mais retas, capô mais robusto, pára-choque e grade cromada trapezoidal na dianteira, deixando seu visual mais robusto. Comparada com o modelo 2011, a nova Hilux se sobressai com essas novidades, chamando bastante atenção no trânsito. A Toyota nos ofereceu para avaliar por uma semana a versão topo de linha, a Hilux Cabine Dupla Top 4×4 SRV D4-D Automática 3.0 diesel, uma das principais novidades da marca para esse ano, já que essa versão não existia na linha 2011.

Ainda na parte externa, é notado logo em um primeiro olhar que a picape ganhou novas rodas, com desenho mais esportivo e novos espelhos retrovisores, itens que valorizam as linhas da Hilux 2012. Enquanto que a parte traseira manteve-se praticamente inalterada, a novidade fica por conta de uma nova disposição do esquema de iluminação das lanternas e a câmera de ré na tampa da caçamba. No geral, essas pequenas mudanças fizeram bem a picape, deixando seu visual mais moderno e requintado.

Assim como a parte externa, o interior também foi levemente redesenhado e deixou a cabine com um “ar” mais sofisticado, pelos menos na aparência. O painel foi modificado e o console central ganhou um display de LCD touchscreen de 6,1 polegadas com informações do sistema de entretenimento e do sistema de som, com imagem da câmera de ré e do ar-condicionado que são fáceis de utilizar e não fazem o motorista ou passageiro perder tempo para acionar o que deseja.

Em termos de conectividade, a Hilux 2012 vem com sistema Bluetooth e USB. A versão Top avaliada contava com acabamento interno com elementos cromados no console central e no volante, que possui comandos para o rádio. Os plásticos das portas e painel são bem simples, como os outros modelos da concorrência, mas os bancos e volante em couro compensam esse deslize e tornam o ambiente interno bem aconchegante.

A posição de dirigir alta é um dos pontos positivos das picapes médias e na Hilux não é diferente, a visão do trânsito à frente é ampla o que facilita ver as brechas para poder encaixar melhor a picape nos “buracos” que os outros motoristas deixam no trânsito. O banco com regulagem elétrica e o volante com as opções de regulagem de profundidade e altura facilitam para o motorista achar a posição correta de dirigir. Na hora de estacionar, o tamanho se torna um martírio, mas com o auxílio da câmera de ré, tudo fica mais simples, até as vagas mais apertadas parecem fáceis de estacionar.

A Toyota Hilux avaliada carrega sob o capô um motor a diesel de 3.0 litros 16V turbo com 163 cv a 3.400 rpm e torque de 35 mkgf a 1.400 rpm, suficientes para empurrar sem cerimônia os 1935 kg da picape. As acelerações são lineares na maior parte do tempo e as retomadas são feitas sem problema, com muito vigor. Em alguns momentos foi sentida a falta de força do motor. Ao pisar com o pé direito no acelerador, em certas situações a aceleração era cortada, sem nenhum motivo aparente e a picape perdia totalmente o controle, fato esse que se repetiram várias vezes durante o teste. Esses acontecimentos que surgiam sem aviso prévio provocou um certo desconforto e falta de segurança para o motorista. De resto, mesmo em subidas seu torque fazia a diferença e facilitava as ultrapassagens.

Em conjunto com o motor está uma caixa de câmbio de apenas quatro marchas, apesar de merecer uma caixa mais moderna, essa deu conta do recado, as trocas são suaves em todas as marchas, porém, nas reduções os trancos são fortes e atrapalham nas ultrapassagens. Outro fator comum em picapes desse segmento é a suspensão, a do modelo avaliado é bem firme e faz com que a Hilux pule muito, principalmente na parte traseira, deixando o carro instável, especialmente em velocidades mais altas ou em retas com asfalto desnivelado. Fato esse que transmitiu uma certa insegurança ao volante, que acaba obrigando o motorista a ter cautela e maneirar com o pé direito.

Para amenizar esse problema, uma das novidades introduzidas no modelo 2012, foi o controle de tração, sistema muito importante para esse tipo de veículo.

O modelo 2012 da Toyota Hilux Cabine Dupla começa custando R$ 93.260, valor correspondente a versão Standard e chega a R$ 141.920 para a modelo Top avaliada. Seus principais concorrentes são a Chevrolet S-10 (que será renovada este mês), Volkswagen Amarok, Ford Ranger (também ganha uma nova geração este ano), Mitisubishi L-200 Triton e a Nissan Frontier. A expectativa da Toyota é comercializar 35 mil unidades da Hilux a diesel em 2012.

[nggallery id=142]

Preços

Hilux 4×4 C/D SRV A/T TOP                     R$ 141.920,00

Hilux 4×4 C/D SRV A/T                               R$ 134.410,00

Hilux 4×4 C/D SRV M/T                              R$ 127.260,00

Hilux 4×4 C/D SR M/T                                  R$ 111.800,00

Hilux 4×4 C/D Standard Power Pack      R$ 100.720,00

Hilux 4×4 C/D Standard                               R$ 93.260,00

Hilux 4×4 C/S Standard                                R$ 85.690,00

Hilux 4×4 Chassi/Cabine                              R$ 80.160,00

Ficha técnica

Motor

Posição                dianteiro, longitudinal

Cilindros              4 em linha

Cilindrada           2982 cm3

Diâmetro x curso             96 x 103 mm

Comando            fixo, DOHC 16V

Taxa de compressão      17,9:1

diesel

Potência              163 cv a 3400 rpm

Torque                 35 kgfm a 1400 rpm

 

Transmissão

Tipo       automático de 4 marchas

 

Direção

Diâmetro de giro             12,4 m

Número de voltas

Eixo dianteiro

Suspensão         independente, duplo A

Freios   disco ventilado

Diâmetro e Espessura   x  mm

Rodas   Aro 16 polegadas

Pneus   n/d 265/70 R16

 

Eixo traseiro

Suspensão         dependente, eixo rígido

Freios   tambor

Diâmetro e Espessura   x  mm

Rodas   Aro 16 polegadas

Pneus   n/d 265/70 R16

 

Capacidades

Peso em ordem de marcha        1935 kg

Carga útil             1000 kg

Tanque de combustível               80 litros

 

Dimensões

Externas

Comprimento   5,255 m

Largura                1,835 m

Altura   1,82 m

Entre eixos         3,085 m

Bitola dianteira                 1,54 m

Bitola traseira    1,54 m

Altura do solo   0,292 m

*Dados do fabricante

Texto e imagens: Marcus Lauria – Carpoint News

Compartilhe: