Peugeot 408 1.6 16V Griffe THP 2012

CarroHoje.com

A Peugeot nunca se deu bem no segmento dos sedãs médios, primeiro veio o modelo 405, no início das importações, depois o 307 sedã, que nunca emplacou nas vendas. Mas desta vez, a marca francesa parece ter acertado na dose, com um projeto exclusivo para um sedã. Com formas harmoniosas e modernas, o novo 408 usa a plataforma 2 do Grupo PSA Peugeot Citroën (a mesma do C4, 308, 3008, RCZ e 5008) e chega para incomodar a concorrência com um design moderno e um pacote atraente de itens de série.

A versão avaliada é a recém lançada 408 THP (Turbo High Pressure) 1.6 16V Griffe, com o motor turbo de 165 cv de potencia, da família Prince, desenvolvido em conjunto com a BMW. Existe ainda a opção com motor 2.0 litros de 151 cv (com etanol) e câmbio automático. O novo 408 têm linhas que chamam a atenção por onde passa, diferente dos sedãs do mercado, com desenhos mais conservadores. O modelo tem a dianteira característica da marca, como os faróis compridos que invadem os pára-lamas, a logomarca do leão no centro do para-choque, além do amplo para-brisa, que fez com que o habitáculo ficasse mais iluminado.

Visto de lado o 408 se destaca pelos vincos acentuados que invade toda a lateral chegando até as lanternas traseiras, com a curva do teto suave. O conjunto estético se harmoniza com as belas rodas de 17 polegadas com raios duplos (as mesmas da versão 2.0). A parte traseira exibe lanternas de cor rubi, com formato simples que conversam com a dupla saída de escape falsa no para-choque de formato semelhante. A versão é identificada por um tímido emblema em alusão ao motor no lado esquerdo da tampa traseira. Os faróis projetores elípticos são direcionais com luz de xenônio na versão Griffe.

Por dentro, o novo 408 segue o padrão Peugeot, com materiais de boa qualidade e com comandos de fácil leitura. O modelo ganhou amplo espaço interno e muitos itens de conforto e segurança. Ao entrar no carro, isso é logo notado pelo motorista e os passageiros. A cor preta é predominante no interior, encontrada no revestimento em couro (dos bancos, puxadores de porta e volante), no painel frontal, painéis de porta e console. Porém o famoso recurso dos detalhes cromados para transmitir mais luxo ao carro é encontrado na parte de baixo do volante, na base da alavanca de marchas, nas maçanetas internas das portas e nos aros dos instrumentos do painel e das saídas do sistema de climatização.

Destaque também para o painel de instrumentos com fundo branco de fácil leitura diurna. Além de serem muito bonitos e seguirem a proposta esportiva do sedã Francês. A posição de dirigir é fácil de achar, com a ajuda dos ajustes manuais do banco em couro que apóiam bem o corpo e as pernas do motorista, além de contar com uma excelente visibilidade frontal e traseira da ampla área envidraçada do sedã. Para facilitar as manobras, o modelo conta com sensores de estacionamento (com informações do carro na tela central) na dianteira e na traseira. Para quem anda atrás, sobra espaço, cabem três pessoas sem aperto (sendo ois adultos e uma criança). O porta-malas carrega até 526 litros, ótimo para quem tem família grande. No habitáculo na faltam porta-trecos, que podem ser encontrados em quase todas as partes do carro, o modelo tem o porta-luvas refrigerado. Além de rádio com Bluetooth e GPS e controlador de velocidade de cruzeiro.

Sob o capô, está o moderno e eficiente motor 1.6 16V THP, que rende 165 cv de potência a 6 mil rpm e 24,5 kgfm de torque que entram logo as 1.400 rotações. O propulsor trabalha em conjunto com uma transmissão automática sequencial de seis velocidades, com trocas rápidas e sem trancos, fazendo com que o motor ande sempre cheio e com disposição. Mesmo em arrancadas ou retomadas. Com a tecla “S” do cambio acionada (na base da alavanca), o sedã fica mais esperto com uma tocada ainda mais esportiva. O turbo é acionado de forma suave e progressiva, sem surpresas. O consumo não foi tão alto como esperávamos rodando sempre na cidade, com o ar-condicionado ligado, o modelo fez uma média de 7,5 Km/l. O conjunto rodas e suspensão deixam a desejar na hora e enfrentar buracos e imperfeições do asfalto, além de ser um pouco barulhenta. Porém é rígido o bastante para deixar o carro bem seguro nas curvas e fazer conjunto com a excelente calibragem da direção hidráulica e as rodas de 17 polegadas calçadas com pneus 225/45. Segundo a marca, essa versão faz de 0 a 100 km/h em 8,3 segundos e chega à velocidade máxima de 213 km/h. Os freios a disco nas quatro rodas garantem segurança na hora de parar.

Completo, o 408 Griffe 1.6 THP trás muitos itens de série importantes para a segurança, como seis airbags, freios ABS e controles de tração e estabilidade. A versão Griffe 2.0 automática (com 4 velocidades), custa R$ 75.300 e entrega até 151 cv a 6.000 rpm com etanol, enquanto que a Griffe 1.6 THP, com 165 cv e potencia e cambio automático de seis velocidades sai a R$ 75.990. Opcionalmente está disponível o banco do motorista com regulagens elétricas, que faz o preço aumentar em R$ 2 mil. A marca oferece três anos de garantia. Seus principais concorrentes são Ford Focus, Honda Civic, Kia Cerato, Renault Fluence, Toyota Corolla, Fiat Linea T-Jet e Volkswagen Jetta Highline.

[nggallery id=171]

Texto e imagens: Marcus Lauria – CarpointNews

Compartilhe:

Next Post

Mazda 6 2013

O sedã médio da japonesa Mazda vai ganhar uma nova geração no Salão de Paris. O modelo teve alguns teasers revelados e a imagem acima mostra as linhas dianteiras. Com algum sucesso no mercado europeu, ele virá com muita tecnologia […]