Mecânica online: Baterias para veículos com sistema Start-Stop

bateria-1

Utilização de fibras de vidro isolantes permite maiores benefícios como durabilidade e performance – A maioria dos veículos importados no Brasil utilizam o que há de mais recente em tecnologia para baterias – A AGM (Absorbent Glass Mat), quem possuem aplicação ainda mais interessante para veículos com sistema START-STOP. A partir desse mês o mercado de reposição ganha pela primeira vez uma opção fabricada pela Johnson Controls, que tem entre seus principais benefícios maior durabilidade e performance.

A marca que foi pioneira na produção de baterias com tecnologia AGM em larga escala para motocicletas no Brasil, em 2005, destaca que os sistemas START- STOP que usam baterias com tecnologia AGM podem reduzir o consumo de combustível e as emissões de CO2 dependendo do tipo do veículo.

O modelo também é indicado para automóveis de luxo com alta demanda elétrica. A marca Heliar com tecnologia AGM chega ao mercado nos modelos 60, 70, 80, 95 e 105 ampères, além de contar com 2 anos de garantia e Socorro 24 horas para qualquer caso de pane elétrica.

bateria-2

Bateria convencional x AGM – Você sabe a diferença?

CONVENCIONAL – Chamamos de convencional as baterias que são produzidas com a combinação de placas de chumbo positivas e negativas mergulhadas em uma solução de ácido sulfúrico e água. Esta tecnologia é a mais utilizada para produção de baterias automotivas em todo o mundo.

AGM – As baterias produzidas com a tecnologia AGM (Absorbent Glass Mat), que em português significa separador de fibra de vidro absorvente de líquido, também usam como componentes da reação química a combinação de placas de chumbo positivas e negativas e uma solução de ácido e água, porém se na tecnologia tradicional o ácido é livre e as placas são mergulhadas na solução, na AGM toda a solução fica absorvida nestes separadores de fibra de vidro. Portanto, bateria que não possui ácido livre.

Mas onde está o diferencial dessa tecnologia? O separador é feito de fibras de vidro isolantes altamente absorventes, por isso as baterias AGM podem ser instaladas em qualquer posição. Sem ácido livre, não vazam. Além disso, estas baterias possuem maior resistência à vibração, pois este conjunto de separadores de fibra de vidro também têm a função de compressão interna das placas positivas e negativas, impedindo o deslocamento de material ativo na vibração.

Importante: Não confunda a tecnologia AGM com a bateria chamada de bateria de Gel.

No Brasil são encontradas com tecnologia AGM as Baterias Optima para aplicações especiais e as baterias Heliar PowerSports e Extreme para motocicletas.

MECÂNICA ONLINE

  • Nova Saveiro – Sob a carroceria, a picape compacta da Volkswagen traz como principal inovação a adoção da nova arquitetura eletrônica, já introduzida no Novo Gol, no Novo Voyage, no Fox e no CrossFox 2014. Essa moderna estrutura possibilita a introdução de uma série de dispositivos e soluções voltadas à segurança e ao conforto dos usuários de seus usuários. Alterações principalmente no design externo e no interior do modelo garante mais modernidade.
  • Nordeste MotorShow 2013 – Tudo pronto para a primeira edição onde empresários, fornecedores e apaixonados por automóvel, motocicleta e veículos náuticos estarão reunidos entre os dias 25 e 28 de abril no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, para o Salão Internacional de Veículos de Duas Rodas, Quatro Rodas e Náutico. Com a presença de cerca de 100 expositores nacionais e internacionais no evento que é promovido pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, são esperadas mais de 50 mil visitantes.
  • Distração – Um estudo inglês apontou que o GPS no carro são mais distraídos, permanecendo 22% do tempo ao volante sem foco na via – sendo que 12% do tempo total é dedicado exclusivamente a olhar para as orientações da telinha. Segundo o estudo, em uma viagem de Londres a Brighton – que dura cerca de 90 minutos –, o motorista passa 11 minutos só de olho no GPS.
  • Bicombustível – A Fiat ultrapassou a marca de 5 milhões de automóveis e comerciais leves produzidos com a tecnologia Flex Fuel. Atualmente, 99% dos veículos produzidos para o mercado brasileiro pela empresa em Betim, Minas Gerais, contam com a opção bicombustível, sendo equipados com motores que funcionam com gasolina, etanol ou a mistura de ambos os combustíveis em qualquer proporção.

tarcisio_assinatura

%d blogueiros gostam disto: