Volkswagen Fusca 2.0 TSI

fusca-1

O novo Fusca não tem quase nada do antigo Fusquinha, da época em que vendia tanto que era difícil não ver um desses em nossas ruas. O modelo atual, batizado novamente de Fusca usa as linhas básicas do modelo que lhe deu origem e só. Trata-se de uma evolução muito bem feita do New Beetle (1997–2010). No modelo 2013, avaliado por duas semanas pelo nosso site foi possível notar essas diferenças, o carro é outro, agora com mais recursos tecnológicos, segurança e mecânica proporcional as suas linhas esportivas e simpáticas.

A nova geração não usa mais a antiga plataforma da quarta geração do Golf (a mesma do Golf vendido por aqui). A nova base vem do Golf VI, vendido na Europa. Em nosso país, o novo Fusca só será oferecido com uma única motorização, ou seja, com o excelente motor 2.0 TSI turbo, que rende 200 cv e 28,6 kgfm de torque (o mesmo do Jetta TSI/Tiguan e Passat, além dos “primos” Audi A3, A4, A5 e TT), segundo o fabricante, o besouro faz de 0 a 100 km/h em 7,5 segundos e alcança uma velocidade máxima de 223 km/h. Em conjunto está o excelente câmbio manual ou automatizado de dupla embreagem, ambas de seis marchas.

Por fora o novo Fusca cresceu o visual chama a atenção por onde passa, as linhas arredondadas mescladas com traços retos em algumas partes dão aquela sensação de agressividade e remete ao antigo Fusquinha, suas medidas são de 4,27 m de comprimento, 1,80 de largura, 1,48 de altura e 2,53 de entre eixos. Observando de lado, a área envidraçada ficou menor e o carro perdeu o formato característico de arco do New Beetle, dando a aparência de um carro mais baixo.

Em seguida destacam-se os arcos de roda, que na verdade são os para-lamas e a linha de cintura alta que faz conjunto com os vidros laterais mais estreitos, transmitindo esportividade ao modelo. Um detalhe é que as porta perderam a moldura, sustentando apenas o enorme vidro dianteiro, que de um certo modo, fica até mais bonito de se ver. A traseira conta com as novas lanternas com desenho redondo em uma das pontas e reto na outra, que se integra ao corte da tampa do porta-malas, além de duas saídas de escapamento cromados. De frente a diferença maior é vista nos faróis bi-xenon, que ficaram mais “ovalados” e contam com uma meia lua de leds diurnos e o para-choque mais “quadrado”.

Por dentro é possível notar que realmente você está em um modelo atual da Volkswagen. A maioria dos botões são encontrados em outros modelos da marca. Logo de cara é notado o novo painel, que agora é mais recuado e traz inserções que podem ser na cor do carro ou em tonalidades escolhidas pelo dono. O painel de instrumentos tem o velocímetro central que tem ainda o conta-giros e medidor de combustível. No centro, o novo corpo ganhou sistema multimídia RCD 510 ou RNS 315 com navegador e rádio.

O volante multifuncional tem base chata e visual típico dos modelos mais esportivos, garantindo boa performance ao condutor mais ousado. Outro detalhe interessante é uma tira de elástico para segurar garrafas ou outro objeto na porta, muito útil. Também existe um pequeno porta-luvas de abertura para cima, à frente do passageiro. Para quem vai atrás, o espaço fica complicado para quem tem mais de 1,80 m. O porta-malas também é pequeno, cabem apenas 310 litros.

Existem 11 opções de cores para o esportivo, sendo as sólidas: Branco Cristal, Preto Ninja, Vermelho Tornado, Azul Denim e Amarelo Saturno. As metálicas são: Azul Reef, Marrom Toffee, Prata Sargas, Prata Moon Rock e Cinza Platinum. Já a única perolizada é o Preto Mystic, do modelo avaliado. Para quem gosta de personalizar não vão falar opções, além da várias cores, os bancos esportivos em tecido Native podem ter cor preta ou bege, mas opcionalmente, o Novo Fusca oferece couro Vienna preto com vermelho ou preto com azul. Na versão avaliada, ainda existia um subwoofer da Fender no porta-malas acompanhado de 9 caixas de áudio da Fender (opcional) com amplificador de 10 canais e potência de 400 watts, que produzem som de alta qualidade.

Os bancos esportivos são envolventes e em couro (na versão de teste), são confortáveis e não casam em viagens mais longas, a posição de dirigir é fácil de achar, devido as várias regulagens oferecdias. O teto solar panorâmico é destaque no interior do novo Fusca. Assim como os belos mostradores circulares sobre o painel. Eles possuem um cronômetro, um medidor de pressão do óleo e o medidor de pressão do turbo para serem monitorados a todo instante pelo motorista.

O conjunto motor e câmbio é muito elogiado pelos especialistas, na prática o Fusca se destaca com esse propulsor, que desenvolve muito bem no dia a dia e na estrada, onde foi possível avaliar o carro. No perímetro urbano, o carro se sai bem em ultrapassagens, subidas em ladeiras e nas curvas mais fechadas, nas vias públicas, os solavancos dos buracos quase não são sentidos em seu interior, apesar das rodas grandes de 17 polegadas com pneus 215/55 R17, só o consumo que ficou muito alto, no computador de bordo marcava 5,6 Km/l.

Na estrada seu comportamento é outro, as acelerações são revigorantes para quem está no volante, basta pisar no acelerador e a resposta vem de imediato, o torque de 28,6 kgfm é sentido logo nos primeiros momentos e sem lag do turbo. Chegamos facilmente aos 190 Km/h em total segurança. A suspensão é bem acertada e deixa o Fusca na mão o tempo todo, nas curvas o comportamento é exemplar, não senti o carro sair de frente e nem de traseira, mantendo sempre a trajetória. Sua média de consumo foi de 8,0 Km/l na viagem até São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Todas as versões trazidas para o Brasil chegam bem completas. Fazem parte do pacote de série airbags frontais, laterais e de cabeça, controle de estabilidade ESP, sistema de som com tela sensível ao toque e comandos no volante e ar-condicionado e conjunto elétrico. Opcionalmente o cliente da marca pode escolher bancos em couro, sensores de estacionamento, teto solar panorâmico, rodas aro 18 com pneus 235/45 R17 e um sistema de som melhor, assinado pela fabricante de guitarras Fender, caso do carro avaliando pelo site. Agora, não pense que tudo isso chega por um preço convidativo, ao contrário, o novo Fusca parte de R$ 76.600 na versão “básica” com câmbio manual. Com o câmbio DSG, o Fusca salta para R$ 80.990. Com todos os opcionais o Fusca pode chegar ao valor de R$ 106 mil.

*FICHA TÉCNICA

Motor/Performance
Motorização: 2.0
Alimentação Gasolina injeção direta
Combustível Gasolina
Potência (cv) 200.0
Cilindradas (cm3) 1.984
Torque (Kgf.m) 28,6
Velocidade Máxima (Km/h) 225
Tempo 0-100 (Km/h) 7.5
Consumo cidade (Km/L) 9.9
Consumo estrada (Km/L) 16.7

Dimensões
Altura (mm) 1486
Largura (mm) 1808
Comprimento (mm) 4278
Entre-eixos (mm) 2537
Peso (kg) 1391
Tanque (L) 55.0
Porta-malas (L) 310
Ocupantes 4

Mecânica
Câmbio Manual de 6 marchas
Tração Dianteira
Direção Elétrica
Suspensão dianteira McPherson, dependência da roda independente
Suspensão traseira Multibraço, dependência da roda independente
Freios Freio: 4 à discos ventilados;ABS;Distribuição eletrônica de frenagem EBD;Freios assistidos (BAS)

*Dados do fabricante

Texto e imagens: Marcus Lauria | CarpointNews