Chevrolet Trailblazer 2.8 Diesel 4X4 LTZ

tblazer-1

Desta vez a Chevrolet acertou no conjunto da obra, isso é fato. O teste com a TrailBlazer diesel, versão SUV da picape S10, foi a maior prova desta afirmação. Outro fato é a criticada grade da Chevrolet, que desde quando foi apresentada pela primeira vez no Agile, não foi bem vista pelos consumidores e admiradores da marca,  porém, desta vez caiu como uma luva na nova dianteira da TrailBlazer, deixando a segunda geração do SUV mais vendido da marca com formas mais agressiva e robusta.

Totalmente renovada em relação a geração anterior, que se chamava apenas Blazer, a Chevrolet TrailBlazer ficou com um design mais “musculoso”. Na dianteira destacam-se os faróis com formato irregular que invadem o para-lama e o capô. A enorme grade com filete no meio que exalta a gravatinha dourada da Chevrolet ao centro e os pára-lamas saltados para fora. Vista de lado, os vincos das portas deixam a sensação de cintura alta e robustez. Na traseira chama a atenção às lanternas formadas por LEDs e uma faixa branca que cruza toda a peça, além da linha cromada localizada em cima da placa.

tblazer-2

Por dentro, o motorista e os passageiros tem todo o conforto necessário. O acabamento é de primeira e deixa o ambiente bem agradável, graças aos bancos de couro claros e o painel da mesma cor. Todas as versões têm acabamento topo de linha LTZ. Por ser bem grandona e espaçosa, a marca resolveu criar a possibilidade de obter diversas configurações internas, já que possui três fileiras de bancos. Lá cabem tranquilamente os sete passageiros da lotação total do SUV, até mesmo na ultima fileira, sempre sem apertos. Segundo a própria marca, seus designers tiveram o trabalho de levantar as segunda e terceira fileiras de assentos, sem sacrificar o espaço para a cabeça. Dando a sensação de estar em um cinema, permitindo melhor visibilidade para todos os ocupantes.

Para um SUV deste tamanho, o porta-malas tem que ser grande também, no caso da TrailBlazer ele é. São 1.830 litros de carga com todos os assentos rebatidos. Para um ambiente agradável, a Trailblazer possui controle eletrônico de temperatura, além de uma unidade de controle adicional para os passageiros dos bancos traseiros. Um controle de intensidade do ar-condicionado foi instalado na parte traseira do teto, juntamente com quatro saídas de ar. Devido ao seu tamanho exagerado, fica ruim estacionar ou mesmo tentar fazer ziguezague no trânsito. O ideal mesmo é pegar uma estrada bem asfaltada e viajar com tranquilidade. A posição de dirigir elevada e a grande área envidraçada dão a sensação de segurança ao motorista.

tblazer-3

Avaliamos por uma semana a versão topo de linha LTZ, que vem equipada com um potente motor movido a diesel, de 2.8 litros auxiliado por um turbo. Esse propulsor gera 180 cavalos de potência máxima a 3.800 giros e 47,9 kgfm de torque a 2.000 rpm. Suficiente para empurrar com tranquilidade a TrailBlazer. Nas curvas é melhor tomar cuidado e manter a velocidade baixa, devido ao sua altura do solo elevada, mesmo com os sistemas eletrônicos não é bom abusar. O carro tente a escapar de traseira e balançar muito nas retas. Em estradas de terra a sensação é a mesma, porém com mais “chacoalhadas”, sentidas principalmente para quem vai atrás.

Em conjunto está o câmbio automático de seis marchas, que não dá trancos e faz o motor desenvolver bem durante todo o percurso, seja em estrada ou no trânsito pesado. As ultrapassagens e retomadas são feitas de maneira tranquila, sem restrições. Equipada com tração integral em qualquer uma das versões. Ela tem ângulos de ataque de 30° e 22° de saída, e 23,2 centímetros de altura em relação ao solo. Suficiente para encarar trechos mais ousados, ou mesmo rios mais profundos. O sistema 4X4 reduzida e o auxílio de descida ajudam a ultrapassar os obstáculos mais cabulosos, encontrados normalmente naquelas típicas trilhas mal feitas, abertas no meio de fazendas, matas e reservas ecológicas.

tblazer-4

O preço é de R$ 175.450 em versão única e trás de série freios ABS com EBD, controles de tração e estabilidade, ar-condicionado digital, computador de bordo, piloto automático com comandos no volante, rodas aros 18 com pneus 265/60R18, sistema premium de som, incluindo rádio double din com CD Player, MP3, Bluetooth, entrada mini-USB e entrada auxiliar, quatro tomadas de 12V, entre outros itens. Desde o seu lançamento, em dezembro de 2012 já foram comercializadas aproximadamente 2.150 unidades em todo Brasil.

FICHA TÉCNICA 

Motor 

Posição           dianteiro, longitudinal

Cilindros         4 em linha

Cilindrada       16

Diâmetro e curso       94 x 100 mm

Comando        variável, DOHC 16V

Taxa de compressão 16:1

diesel

Potência          180 cv a 3800 rpm

Torque            47,9 kgfm a 2000 rpm

 

Transmissão

Tipo     automático seq. de 6 marchas

relação de marchas  

1ª        4,06

2ª        2,37

3ª        1,55

4ª        1,16

5ª        0,85

6ª        0,67

Ré        3,2

Diferencial      3,42

 

Carroceria

Direção          

Diâmetro de giro       11,8 m

Número de voltas       3,36

 

Eixo dianteiro            

Suspensão       independente, McPherson

Freios disco ventilado

Diâmetro e espessura            300 x 27mm

Rodas De liga leve, aro 18 polegadas

Pneus 265/60 R18

 

Eixo traseiro  

Suspensão       semi-independente, 5-link

Freios disco ventilado

Diâmetro e espessura            318 x 18mm

Rodas De liga leve, aro 18 polegadas

Pneus 265/60 R18

 *Dados do fabricante

Texto e imagens: Marcus Lauria – CarpointNews