Honda Fit EX 1.5 16V flex aut

fit-1

Totalmente renovado esse ano no Brasil, o novo Honda Fit 2015 chegou mais robusto e moderno. O modelo ficou ainda mais espaçoso, versátil, mais econômico, além de ganhar um câmbio CVT e melhorias funcionais no motor, visando a economia de combustível. Tudo isso pode ser comprovado em nosso teste de uma semana com a versão intermediária do monovolume. Mas claro, nem tudo é perfeito, constatamos alguns deslizes também.

Fabrica do em Sumaré (SP) e, a partir do próximo ano, também na nova planta de Itirapina (SP), o Honda Fit 2015 ganhou linhas mais atuais, seguindo o padrão mundial da marca. O modelo inaugura uma nova identidade visual da Honda. Ele segue o conceito “Solid Wing Face”, destacado na parte dianteira, onde destacam-se principalmente o conjunto óptico e a grade frontal e com vincos espalhados por toda parte da carroceira.

De lateral é notado as linhas da cintura alta, com um vinco levemente angulado para baixo, da porta dianteira até o início das lanternas traseiras. Para essa geração foi aplicado um adesivo refletivo que passa a acompanhar a linha da coluna traseira. Já os novos retrovisores receberam repetidores para as setas (na versão EXL). Na traseira, o Fit tem um novo para-choque traseiro, que se alinham com os novos defletores de ar dispostos com o aerofólio, que ganhou um novo local de posicionamento do break light. Na versão avaliada destacam-se as novas rodas de 16”, com pontas polidas e fundo preto. Passando uma certa esportividade ao carro. Na versão LX, as rodas são de 15 polegadas ou calotas.

Comparada a geração anterior, a parte interna ficou maior e mais espaçosa. Entre as medidas, foi mantida a largura (1.695mm), enquanto que o comprimento passou de 3.900mm para 3.997mm e a distância entre eixos passa a ser de 2.530mm, ou seja, 30mm a mais. O conforto pode ainda ser percebido para os passageiros dos bancos traseiros, onde o espaço para as pernas dos ocupantes, que agora é 122mm maior. Nada mal para quem já tinha espaço de sobra.

Porém, os elogios de espaço para os ocupantes em geral do novo Fit não se estende a qualidade de materiais usados no habitáculo. Os bancos são revestidos em tecido (DX, LX e EX), com detalhes no centro e a partir dessa geração o modelo passa a contar com o sistema ULTRa-Seat (LX, EX e EXL) e com o novo modo Refresh, onde o encosto dianteiro alinha-se ao assento traseiro, em um encaixe que aumenta a capacidade de acondicionamento do veículo. Na versão EXL os bancos em couro são de série.

O monovolume, é cheio de porta-trecos, assim como as suas gerações anteriores. Além do tradicional porta-luvas, ele tem vários porta-copos, porta-objetos, porta-revistas e porta-bebidas. O porta-objetos do motorista, conta ainda com um flip retrátil, que comporta tanto um celular de forma ajustada até um copo grande. Mesmo com tanta novidade e melhorias, o modelo fica devendo na qualidade dos plásticos utilizados no interior, assim como o tecido dos bancos, que podiam ser mais macios pelo preço cobrado pelo novo Fit. Mas mesmo assim, o silêncio a bordo é notado o tempo todo, sem nenhum zumbido externo invadindo o interior.

Ainda por dentro, é possível notar o novo painel de instrumentos, onde todos os tudo foi refeito, com um novo posicionamento, bem mais simples e de fácil leitura e com iluminação âmbar (na EXL o painel é azul). Estão lá o tacômetro, indicador da posição da manopla (CVT), velocímetro, relógio, hodômetros total e parcial, consumo médio e instantâneo (em km/l) e medidor de combustível. Bem equipado, o Honda Fit 2015 traz ar-condicionado, vidros verdes com filtro UV, travas e espelhos elétricos, entre outros itens.

Ele conta ainda com sistema de áudio 2DIN, que é composto por Rádio AM/FM com um visor de LCD de 5” e Bluetooth, câmera de ré com três ângulos de visão (panorâmica, normal e superior), leitores de arquivos no formato MP3/WMA, entradas auxiliares P2 (tipo fone de ouvido) e porta USB. A novidade fica por conta do sistema HFT (Hands-Free Telephone) posicionado junto ao volante, possibilita o atendimento de uma ligação através da conexão sem fio juntamente com a função de viva-voz. Além de alarme antifurto, sistema de abertura e fechamento das portas com alarme, imobilizador na chave (em formato canivete nas versões EX e EXL), além de trava de segurança nas portas traseiras.

Para facilitar as manobras e melhorar a dirigibilidade em geral, o novo Fit oferece o sistema de de direção eletricamente assistida com o EPS (Electric Power Steering), onde a direção é auxiliada por um pequeno motor elétrico comandado por um módulo eletrônico, que atua sobre o pinhão na caixa de direção. A coluna de direção tem telescópio, para todos os lados.

Equipado com o motor 1.5L i-VTec FlexOne, o propulsor tem controle eletrônico variável de sincronização e abertura de válvulas. Ele gera exatos 116 cv de potência a 6.000 rpm e torque de 15,3 kgf.m a 4.800 rpm, com etanol. Em conjunto está o novo câmbio CVT (Continuously Variable Transmission), de nova geração, denominado Earth Dreams. Com trocas macias e sem trancos. Esse sistema apresenta conversor de torque e uma elasticidade de giro maior, o que melhora a tração em baixas velocidades, proporcionando uma resposta mais rápida, aceleração linear e economia de combustível. Ampliando, desta forma, a melhor arrancada em subidas mais íngremes, por exemplo.

Comercializado incialmente em quatro versões, sendo elas: DX, LX EX e EXL. O novo Honda Fit está disponível nas cores: Azul Netuno Metálico (novo) e Azul Netuno Metálico, Vermelho Rally Sólido, Preto Cristal Perolizado, Cinza Barium Metálico (novo), Cinza Iridium Metálico, Prata Global Metálico, Branco Taffeta Sólido. Ele tem três anos de garantia, sem limite de quilometragem e parte de R$ 49.900 na versão de entrada DX com câmbio manual e pode chegra até R$ 65.900, na versão topo de linha EXL com câmbio CVT. A versão avaliada EX sai a R$ 62.900. Para acrescentar cores metálicas, o preço aumenta em R$ 990.

fit-2 fit-3 fit-4

 


 

FICHA TÉCNICA:

Motor/Performance

Motorização:             1.5

Alimentação             Injeção multi ponto

Combustível             Álcool            Gasolina

Potência (cv)            116.0 115.0

Cilindradas (cm3)    1.496

Torque (Kgf.m)         14,8    14,8

Velocidade Máxima (Km/h)           172

Tempo 0-100 (Km/h)           13.5

Consumo cidade (Km/L)    6.8

Consumo estrada (Km/L) 8.2

Dimensões

Altura (mm)   1535

Largura (mm)           1695

Comprimento (mm)             3900

Entre-eixos (mm)     2500

Peso (kg)       1160

Tanque (L)    47.0

Porta-malas (L)        384

Ocupantes    5

Mecânica

Câmbio          Automática (CVT) com modo manual de 5 marchas

Tração           Dianteira

Direção          Elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira            Suspensão tipo eixo de torção e traseira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Freios            Quatro freios à disco com dois discos ventilados.

*Dados do fabricante


Texto e imagens: Marcus Lauria – CarpointNews