A história do estúdio Nissan Design Europa

O estúdio Nissan Design Europa (NDE) abriu suas portas em 1990 em Cranfield, Bedfordshire, no Reino Unido, que agora é o endereço do Centro Tecnológico da Nissan na Europa (NTCE). Inicialmente, as atividades de design do estúdio NDE limitavam-se a dar suporte à planta de Sunderland, localizada no Reino Unido.

Em 1992, ao ser transferido para a cidade de Wolfratshausen, no sul da Alemanha, o escopo do NDE foi ampliado, passando a atuar na criação de novos modelos, graças à contribuição de talentosos designers italianos e alemães.

Em 2000, o NDE mudou-se para Londres, cidade que é atualmente considerada um dos maiores polos de criação de todo o mundo. Contando com uma população diversificada e internacional, a cidade se tornou o ambiente ideal para a equipe multicultural de design da Nissan.

A direção da empresa acreditava que a mudança do estúdio para Londres seria benéfica à grande transformação criativa necessária ao sucesso da Nissan na Europa, permitindo que o NDE intensificasse a cooperação com as equipes do Centro Tecnológico e da fábrica de Sunderland.

Na época, vice-presidente sênior e diretor mundial de design na Nissan Motor Company, Shiro Nakamura determinou que o estúdio deveria ser instalado em um “edifício emblemático” na capital inglesa. A tarefa foi incumbida a uma agência imobiliária, que delimitou o escopo da busca desde a região de Docklands, que passava por uma revitalização acelerada, no lado Leste da cidade, até a região Oeste, nos arredores do aeroporto de Heathrow.

A lista de edifícios qualificados para visita incluía o prédio “The Rotunda”. A construção com inusitado formato ovalado está localizada em Paddington, na região Norte de Londres, próximo ao famoso Hyde Park.

O “The Rotunda” foi construído em meados dos anos 60 pelo arquiteto Paul Hamilton.  Servia de armazém de manutenção de vagões da British Rail, a rede ferroviária britânica. Nos anos 80, foi abandonado e entrou em decadência.

Dave Godsell, gerente de projetos de design que fazia parte da equipe que visitou o edifício pela primeira vez, comentou que “o prédio estava em estado de abandono e cheio de água, mas era incrível! Mandamos as fotos para o Japão e até Carlos Ghosn, que na época era presidente e CEO da Nissan Motor Company, apareceu para dar uma olhada. Ficamos surpresos quando ele concordou com a nossa escolha, pois era preciso ter visão para enxergar o potencial por trás da aparência. Foi uma decisão corajosa, mas acho que valeu a pena”!

E visão era exatamente do que o edifício precisava. Localizado oficialmente na região W2 6NB (181 Harrow Road) de Londres, o “The Rotunda” também estava totalmente coberto por grafite e figurava na lista de imóveis tombados, ou seja, os desenhos pintados na fachada não poderiam ser removidos. 

Além disso, não era tão fácil ter acesso ao prédio. Localizado em uma parte elevada da A40, uma importante via de acesso à cidade pelo lado Oeste, o edifício ficava a apenas alguns metros do Grand Union Canal, que faz parte de um grande sistema de vias navegáveis na região metropolitana de Londres. Portanto, para qualquer um que fosse lá para trabalhar ou visitar, o acesso seria possível apenas caminhando pela margem do canal.

Mas o prédio esbanjava potencial, com uma planta aberta e espaçosa que poderia ser transformada sob medida para acomodar um estúdio de design urbano.

Os trabalhos começaram em 2002. A nova planta permitiu dividir o edifício em três pavimentos para instalar escritórios, estúdios de criação e oficinas. O design de interiores seguiu o conceito ‘wa’, que em japonês significa harmonia, refletindo uma fusão de influências e culturas europeia e japonesa. Já o grafite do lado de fora foi mantido e simplesmente dissimulado por painéis.

As atividades do estúdio NDE iniciaram oficialmente em 25 de janeiro de 2003. Este foi o mais novo estúdio dos quatro centros de design mundiais da marca, que incluem o Centro Mundial de Design, em Atsugi, no Japão, além das cidades de San Diego, nos EUA, e Pequim, na China.

A cerimônia de inauguração do estúdio de design de Londres contou com a presença de Shiro Nakamura e Carlos Ghosn, que comentou que “o design é fundamental para a Nissan. A inauguração do NDE demonstra o valor que o design tem para a marca. Continuamos a criar e a lançar carros atraentes e instigantes, desenvolvidos aqui para todos os clientes europeus”.

Em 2003, o edifício The Rotunda passou a abrigar aproximadamente 50 designers, equipes de projeto e suporte especializadas na indústria automotiva. Trabalhando em parceria com seus colegas de todo o mundo, estas equipes tem a missão de conceber e criar o design das próximas gerações de modelos empolgantes para os clientes europeus. O trabalho colaborativo é feito também com as equipes de engenharia do Centro Tecnológico Nissan Europa, além das plantas de Sunderland e Barcelona.

Mat Weaver, que então era designer sênior e agora é diretor de design do estúdio NDE, esteve envolvido no projeto desde o início. Ele comentou que aquela “foi uma das fases mais extraordinárias de minha carreira”.

Mat comentou que “o espírito pioneiro tomou conta de toda a empresa naquela época e o estúdio NDE era uma peça-chave daquele espírito em toda a Europa. Estávamos no ápice da fase de recuperação da empresa e tínhamos como mantra a mentalidade de sermos ao mesmo tempo ousados e focados. Sabíamos que a Nissan teria que aumentar rapidamente sua lucratividade, por isso tínhamos uma grande motivação em nossa atividade como designers”.

Em 2003 a equipe do estúdio NDE criou a futura geração do hatchback Nissan Almera. Na época, Carlos Ghosn desafiou os designers se aquele era o produto certo para alavancar o negócio.

Essa foi a pergunta que marcou o início de uma aventura, que culminou com a mudança do cenário automotivo na Europa. Junto com seus colegas do centro tecnológico NTCE e de planejamento de produto, os designers do estúdio NDE iniciaram uma trajetória que levaria à criação do Nissan Qashqai, dando início ao segmento de crossovers na Europa.

Mat concluiu dizendo que “A história do edifício ‘The Rotunda’ e a situação em que ele se encontrava antes de nossa mudança contribuiu para nos inspirarmos na criação do conceito Qashqai. O grafite do prédio nos inspirou para criarmos o tecido de revestimento interno, além de ajudar na comunicação do conceito de ‘crossover urbano’ do veículo”.

%d blogueiros gostam disto: