Land Rover Range Rover Evoque Dynamic

CarroHoje.com

A Land Rover já anunciou a chegada da segunda geração do Evoque para o segundo semestre desse ano, mas antes que mude, tivemos a chance de testar a versão topo de linha com o novo motor Ingenium Flex, que está mais eficiente e econômico. Não parece, mas o Evoque, que é atualmente produzido na fábrica de Itatiaia, no Rio de Janeiro, está há sete anos no mercado e segundo a marca inglesa é o modelo mais vendido desde então. A sua importância é tão grande que foi a maior influência de estilo para todos os SUVs que vieram depois dele: desde o Range Rover até a nova família Discovery. Com o seu primeiro primeiro facelift em 2015 veio a inédita versão conversível no ano seguinte e para fechar com chave de ouro esse cilco a novidade fica por conta da motorização.

Além das novidades mecânicas, o que mais chama a atenção no Evoque é sua beleza, sim o SUV inglês marca presença por onde passa. O Evoque parece ser bem grande ao olhar de um leigo, mas ele tem medidas bem próximas a de outros SUVs compactos do segmento, são 4,37 m de comprimento, 1,98 m de largura e 1,63 m de altura. Destacam-se as enormes caixas de roda que acoplam as belas rodas de liga leve de 20 polegadas pintadas em preto. O modelo avaliado veio com o Black Pack opcional, que além das rodas citadas agrega pintura preta na grade frontal, para-choques, friso do para-lama, retrovisores e nas inscrições Range Rover, tipo uma versão Midnight da Chevrolet. Porém seu desenho esportivo compromete bastante a visibilidade, especialmente na traseira.

Por dentro o luxuoso acabamento é uma das atrações do Evoque, a versão que testamos foi a HSE Dynamic, topo de linha é vem cheia de “mimos” tanto para o motorista quanto para os passageiros. Todos os materiais são de alta qualidade, com superfícies emborrachadas em todos os cantos que as mãos alcançam. No habitáculo é possível encontrar vários materiais de alta qualidade como couro, alumínio, madeira e plástico (fosco e brilhante). Os bancos envolventes estão mais confortáveis e possuem ajuste elétrico e três posições de memória para o motorista e para o carona, o que facilita e muito achar a posição de dirigir, assim como o volante que tem regulagem de altura e profundidade. O Evoque avaliado ainda trazia o Convenience Pack que agrega chave presencial, head-up display e abertura elétrica do porta-malas de 575 litros.

Apesar de “ultrapassado” em relação ao seu primo mais novo, o Velar, o console central ainda é uma peça bonita no interior do Evoque, onde estão lá o sistema de ar-condicionado com botões grandes e o mesmo sistema de som oferecido em seu lançamento, mas tudo com ajustes fáceis e intuitivos. No Velar essa área do console foi substituída por uma grande tela sensível ao toque. Além da tela de 8 polegadas que ocupa toda porção central do painel, dando um visual bem moderno ao SUV com ótima definição e gráficos de alta qualidade e de fácil operação. Estão lá disponíveis para o condutor medidor de eficiência de condução, sistema de GPS para o off-road e também seleção da coloração da iluminação interna.

Visando um som de alta qualidade a Land Rover não mediu esforços e disponibilizou um sistema de som Meridian, que somam 12 alto-falantes com 380 watts de potência e subwoofer de canal duplo, ou seja, um som para não colocar defeito. Apesar da ótima sonorização, quem vai atrás sofre um pouco com o espaço disponível, onde é possível viajar com relativo conforto desde que o motorista não seja muito alto. Um detalhe que surpreende é o espaço amplo para a cabeça, mesmo com teto solar panorâmico.

Depois de apresentar todo o luxo do interior e suas linhas marcantes está na hora de saber o que empurra esse SUV compacto Premium da marca inglesa. Debaixo do capô roca um motor 2.0 flex de quatro cilindros da família Ingenium, desenvolvida especialmente para o mercado brasileiro, é praticamente o mesmo usado no esportivo F-Type da Jaguar em suas versões de entrada na Europa. São 240 cv e 34,7 kgfm de torque, suficientes para deixar qualquer sadan de mesma litragem comendo poeira nas arrancadas devido ao seu alto torque, já que a transmissão privilegia marchas mais altas. Em conjunto está o câmbio ZF de nove marchas que é a mesma usada nas versões diesel dos Jeep Renegade, Compass e Toro, porém com uma calibração específica para o Evoque. As trocas são suaves na maior parte do tempo, mas perceptíveis quando acelera em baixa velocidade. O Evoque tem a manopla escamoteavel, que com o motor desligado ela se esconde no console central e as marchas são selecionadas rotacionando, um atrativo que é um show a parte. As trocas estão mais rápidas e agora dá para interferir nelas com mais agilidade, usando as aletas no volante mesmo com o seletor do câmbio em D (antes era preciso passar para S).

O Evoque oferece ainda quatro modos de seleção diferentes de condução off-road, o que o torna capaz de se adaptar rapidamente a trechos urbanos, de areia, neve ou lama, o já conhecido sistema Terrain Response. A tração 4×4 funciona para colocar o SUV em uma trajetória segura em caso de manobras bruscas, com isso é possível fazer curvas mais ousadas sem que a carroceria role demais ou se incline, e que trabalha em conjunto com suspensão mais rígida e às rodas de 20 polegadas. Segundo a marca, ele vai de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos e atinge até 217 km/h.

O preço atual do Range Rover Evoque HSE Dynamic avaliado é de R$ 271.200,00. A Land Rover oferece o Land Rover Care, que custa R$ 2.990 para os primeiros 5 anos, ou primeiras 5 revisões básicas, ou 55 mil quilômetros, o que desses vier primeiro. As revisões devem ocorrer a cada 12 meses ou a cada 10 mil km, o que vier primeiro. O serviço inclui troca de óleo do motor, filtro de ar, filtro de pólen, filtro de combustível, fluido de freio e mão de obra para esses itens. 

*FICHA TÉCNICA:

Mecânica

Motorização 2.0

Combustível Álcool             Gasolina

Potência (cv)            240    

Torque (kgf.m)         N/D    

Velocidade Máxima (km/h)            217    

Tempo 0-100 (s)      7,3     

Câmbio          automática com modo manual de 9 marchas

Tração           4×4

Direção          elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira             Suspensão tipo McPherson e traseira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Dimensões

Altura (mm)   1.660

Largura (mm)           1.985

Comprimento (mm)             4.370

Peso (Kg)      1.752

Tanque (L)    69

Entre-eixos (mm)     2.660

Porta-Malas (L)        575

Ocupantes    5

*Dados do fabricante

Texto e fotos: Marcus Lauria – Carpointnews

Compartilhe:

Next Post

Nissan Rogue Sport

O Nissan Rogue Sport 2020 ganhou alterações na dianteira, juntamente com lâmpadas traseiras redesenhadas, nível de acabamento revisado e conteúdo do pacote opcional.  Colocado à […]