Ford EcoSport Titanium 1.5

CarroHoje.com

Para se destacar entre os concorrentes, a Ford resolveu inovar e lançar um SUV com um acessório diferenciado, daí veio a ideia de tirar o estepe da tampa traseira e oferecer aos seus clientes os pneus Run Flat (inédito na categoria) como item de série. Com isso, o EcoSport 2020 na nova versão Titanium é a opção para os que preferem a tampa lisa sem o estepe e com mais personalidade.

A linha 2020 foi revelada durante o último Salão do Automóvel, em São Paulo onde foi feito um leve facelift na dianteira e na traseira, além de novas rodas e retorques no interior. O Ecosport Titanium está à venda desde fevereiro desse ano e além dessa nova versão a Ford continua a oferecer também as versões SE, FreeStyle e Storm.

Junto com a renovação visual veio a utilização dos pneus Run Flat, ou ZP (Zero Pressure), se caracterizam pelas laterais reforçadas que permitem continuar rodando mesmo se um deles perder totalmente a pressão, dentro de certos limites de distância e velocidade. Ou seja, em caso de furo o motorista é avisado pelo sistema de monitoramento de pressão dos pneus e não precisa interromper a viagem, podendo fazer o conserto depois, com segurança, no momento e local mais convenientes.

Esses pneus Michelin ZP que podem percorrer até 80 km à velocidade de 80 km/h com pressão zero. Usando o kit de reparo que acompanha o veículo, essa distância é ampliada para 200 km, mantendo o mesmo limite de velocidade. Por essa razão, veículos equipados com a tecnologia Run Flat dispensam o uso de estepe, macaco e chave de roda. Durante o desenvolvimento do novo modelo, a Ford fez uma pesquisa com clientes para medir a sua aceitação e a maioria afirmou que se sentiria mais segura com essa tecnologia no veículo.

Segundo a montadora, o time de engenharia também desenvolveu uma nova calibração da direção elétrica e revisou os sistemas de suspensão e freios para garantir uma melhor performance me todos os sentidos, que ficou 13 kg mais leve. Esse trabalho de refinamento envolveu também o conforto acústico da cabine, que realmente pode ser visto durante o teste, mostrando um silêncio à bordo todo o tempo independentemente do tipo de piso.

Sob o capô, nenhuma novidade, está lá o já conhecido motor 1.5 Ti-VCT Flex de três cilindros, de 137 cv, e transmissão automática de seis velocidades com teclas “paddle shift” no volante. O propulsor deixa o EcoSport bem esperto me ultrapassagens e arrancadas, o conjunto é contemplado por um bom câmbio automático de trocas suaves e sem trancos e com retomadas bem dispostas. Apesar de ser bem adequado ao peso do EcoSport (1,310 kg), o motor é bem “gastão” e deixa a sua autonomia no limite. Saímos com o tanque cheio de gasolina da concessionária na retirada do SUV e na volta com o tanque quase vazio percorremos somente 220 quilômetros com uma média de 7,4 km/l rodando somente na cidade e sempre com o ar-condicionado ligado e sem abusar muito do acelerador.

Seu preço de R$ 103.890 é bem salgado, mas o EcoSport vem bem recheado de equipamentos que talvez compensem o valor alto. São eles: teto solar elétrico, sete airbags, sistema de monitoramento de ponto cego e tráfego cruzado, painel “soft touch”, bancos de couro ecológico, sensor de presença para acesso inteligente e partida sem chave, central multimídia SYNC 3 com tela de 8”, faróis de xênon, luzes diurnas de LED, sensor de chuva e rodas de liga leve de 17”. As três revisões anuais do EcoSport Titanium, por exemplo, cobrindo o período de 36 meses de garantia, saem por R$1.837 pelo sistema preço fixo da Ford.

Por Marcus Lauria (texto e fotos) – CarpointNews

Compartilhe:

Next Post

Hyundai Kona Hybrid 2020

O Kona original, que recebeu o nome do impressionante distrito de Kona na Ilha Grande do Havaí, foi lançado originalmente em 2017 como o primeiro […]