Sem nenhum concorrente direto no mercado brasileiro, o Volkswagen Jetta GLI chega do México em sua sétima geração para se destacar entre os sedãs esportivos importados. Os detalhes externos e internos voltados para a esportividade, além do motor e preparação da suspensão dão o tom desse sedã apimentado.

Produzido sobre a Estratégia Modular MQB, o Jetta GLI faz parte da lista de 20 lançamentos previstos até 2020, dentro do conceito da Nova Volkswagen. Essa versão sucede a topo de linha Highline e fica acima das configurações R-Line, Comfortline e 250 TSI.

Para quem não sabe, a nomenclatura GLI nasceu na década de 1980, nos Estados Unidos, como parte da estratégia de esportivos da Volkswagen no mundo, e se refere aos modelos de topo de gama, trazendo todo o apelo dos modelos GTI. Daí a origem do nome Gran Luxury Injection (GLI). Enquanto a sigla GTI é utilizada exclusivamente para hatchbacks ao redor do mundo e a gama GTS é designada para versões esportivas intermediárias.

Por fora seu visual chama a atenção e deixa o sedã com cara de esportivo. A parte inferior do veículo é toda contornada por elementos escuros e as rodas de 18 polegadas (pneus 225/45 R18) têm estilo dinâmico (direcional), ou seja, não são simétricas.

Exclusivo para essa versão o para-choque dianteiro tem design mais esportivo, tanto para a grade superior com elementos em formato de colmeia e para o friso horizontal vermelho conectando os faróis. A barra que conecta a parte superior dos faróis, cromada nas demais configurações, é preta no Jetta GLI. Já a parte inferior dos faróis é unida por um filete vermelho. Enquanto o conjunto Full LED tem design diferenciado em relação às demais versões.

Visto de traseira chamam a atenção o difusor na parte inferior e o aerofólio na tampa do porta-malas, A saída dupla de escape cromada e toda a logotipia do modelo em vermelho complementam o conjunto. Em tempo: as pinças de freio dianteiras são pintadas em vermelho. O Jetta GLI é um sedã imponente, são 4.709 mm de comprimento, 1.799 mm de largura, 1.478 mm de altura e 2.680 mm de entre eixos (o que garante ótimo espaço interno). O porta-malas tem capacidade de 510 litros.

Se por fora suas linhas são demasiadamente esportivas, por dentro o modelo segue o mesmo padrão, que mescla dois elementos essenciais o tom escuro destaca os detalhes esportivos, como: forração do teto, colunas, laterais das portas, painel e bancos. Essa tonalidade deixa em evidência os elementos cromados do volante (o mesmo do GTI, com base reta), capas dos pedais e soleiras de porta. Chamam a atenção também os detalhes em vermelho, presentes nas costuras do banco, no volante e nos tapetes.

O sedã da Volkswagen conta com volante multifuncional de couro com shift paddles, bancos de couro (os dianteiros contam com regulagem elétrica e sistema de aquecimento – o do motorista oferece ainda três posições de memória) e sistema de seleção do perfil de condução e iluminação ambiente ajustável em 10 tonalidades.

O Jetta GLI conta de série com o sistema de som da grife Beats, com 300 Watts e amplificador digital de 8 canais. O som de alta fidelidade é fornecido por 4 alto-falantes, 2 tweeters e um subwoofer com ajustes especiais.

O único opcional é o teto solar panorâmico, que abrange mais da metade da área do teto do veículo. O Jetta GLI está disponível em seis cores: três sólidas (Branco Puro, Cinza Puro e Vermelho Tornado), duas metálicas (Cinza Platinum e Prata Pyrit) e uma perolizada (Preto Mystic).

O GLI é a única na linha Jetta equipada com motor 2.0 350 TSI, da família EA888, com 230 cv a 4.700 rpm, mantendo-se até 6.200 rpm, que também equipa no mercado nacional Golf GTI, Tiguan R-Line e Passat. O torque máximo é de 35,7 kgfm (350 Nm), na faixa de 1.500 rpm a 4.600 rpm. São 80 cv a mais do que o motor 250 TSI, de 150 cv, que equipa as demais versões. Sua velocidade máxima é de 250 km/h e faz de 0 a 100 km/h em 6,8 segundos. O propulsor oferece muita disposição a cada acelerada que vem com muita emoção ao mesmo tempo, deixando qualquer motorista com um largo sorriso nos rosto.

Em conjunto está o câmbio DSG, de dupla embreagem, com seis marchas, com trocas suaves e sem trancos, mas com uma pegada mais esportiva. O torque elevado já em baixas rotações faz um conjunto quase perfeito para quem gosta de dirigir com emoção. O Jetta GLI é equipado de série com direção progressiva, sistema permite aos condutores fazer curvas com menor movimentação do volante e que diminui o trabalho do volante perceptivelmente em manobras e ao estacionar.

O recurso de Seleção do Modo de Direção inclui quatro opções: “Eco”, que privilegia a economia de combustível, “Normal”, que mantém os ajustes de fábrica, “Sport”, para uma condução mais esportiva, e “Individual”, no qual é possível ajustar os parâmetros de direção, transmissão e outros assistentes de condução da forma que o condutor preferir.

A suspensão foi retrabalhada para suportar a nova potência do sedã que é independente nas quatro rodas. O Jetta GLI traz várias tecnologias como o “Active Info Display”, controlador automático de velocidade (ACC), Front Assist com função City Emergency Brake, Sistema de Frenagem Pós-Colisão e regulagem automática do farol alto (FLA), são itens de série no GLI – inclusive as três primeiras revisões gratuitas (10.000 km, 20.000 km e 30.000 km).

O modelo conquistou 5 estrelas (de cinco possíveis) nos testes de colisão frontal, lateral e de sobreposição. Foram avaliados também todos os dispositivos eletrônicos de segurança e assistência à condução oferecidos de série. São seis airbags (dois frontais, dois laterais e dois do tipo cortina), Bloqueio Eletrônico do Diferencial, sistema Start/Stop e Função de Frenagem de Manobra (RBF).

O sedã esportivo tem discos de freios cerca de 10% maiores, em comparação às demais versões do modelo. No GLI, os freios dianteiros têm discos ventilados de 312 milímetros. Na traseira os discos têm 300 milímetros. O sistema possui recurso BSW, de secagem dos discos de freio dianteiros, para ajudar a remover a água e dar mais segurança na frenagem em dias chuvosos. O sistema de freios também traz as tecnologias de distribuição eletrônica da pressão de frenagem (EBD) e de assistência hidráulica à frenagem (HBA). E mais: o GLI tem freio de estacionamento eletroeletrônico, com acionamento por meio de botão e função Auto Hold.

A Volkswagen posicionou o modelo numa faixa de R$ 144.990, mais R$ 4.990 pelo teto solar, totalizando R$ 149.980. Enquanto que o GTI parte de R$ 151.530 –, sem incluir controle de velocidade adaptativo, farol alto automático, rodas aro 18, bancos de couro e ajuste elétrico para motorista. E completo o hatch bate à porta dos R$ 175 mil. Não que eu esteja comparando um modelo hatch com sedã e sim por terem praticamente o mesmo pacote e alguém não gostar do sedã. O Jetta GLI chega ao Brasil com garantia de três anos, sem limite de quilometragem.

*FICHA TÉCNICA

Mecânica

Motorização 2.0

Combustível Gasolina       

Potência (cv)            230    

Torque (kgf.m)         35,7   

Velocidade Máxima (km/h)            250    

Tempo 0-100 (s)      6,8     

Consumo cidade (km/l)      9,9     

Consumo estrada (km/l)    12,5   

Câmbio          dupla embreagem man.sequ.com modo auto de 6 marchas

Tração           dianteira

Direção          elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira             Suspensão tipo multibraço e traseira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Dimensões

Altura (mm)   1.474

Largura (mm)           1.799

Comprimento (mm)             4.702

Peso (Kg)      1.432

Tanque (L)    50

Entre-eixos (mm)     2.688

Porta-Malas (L)        510

Ocupantes    5

*Dados do fabricante

Compartilhe: