Categoria: Clássicos

Beep-beep

Ou bí-bí, como queiram. O anúnio de 1971 colocava lado a lado os “xarás” Road Runner. Um, o da Plymouth, o outro da Hanna Barbera (Papa-léguas em português). Qual devia correr mais?

Alfa Romeo Alfasud

Numa época onde Peugeot se Renaults davam as cartas no mercado de hatches compactos na Europa, a italiana Alfa Romeo teve a ideia de lançar um concorrente aos franceses. Em 1971 saia da fábrica o primeiro Alfasud.

Fiat 131 Supermirafiori (1978-1981)

O Fiat 131 foi um sucesso de vendas da marca italiana. Lançado em 1974 ele chegou para ocupar o lugar do 124, que já estava ultrapassado para os padrões da época. Também chamado mais tarde de Mirafiori, o 131 teve pouco mais de 1,5 milhão de unidades vendidas durante a sua história.

Coronet 1976, o último Coronet

Esta imagem é a última imagem do Dodge Coronet em seu catálogo 1976. Em 1977 o modelo mudou de nome, para Monaco, e começou sua decadência até sumir em 1978. Apesar de ainda ser um modelo bonito em 1976, nada tem a ver com o carro esportivo do final dos anos 60 e início dos

O Carro. Quer dizer, Le Car

Sim, Le car era o nome do Renault 5 vendido no mercado norte-americano. Ele começou a ser vendido por lá em 1970 e durou até 1983. As alterações maiores estão na dianteira que, em relação ao modelo europeu (que era mais bonito) tinha pára-choques mais avantajados, que seguiam as normas de segurança dos “States” na

Opel Monza (1983-1987)

Na Europa, o Monza coupé chegou em 1983 com linhas modernas e esportivas. Com este nome ele foi vendido por aqui com carrocerias sedã e hatch. O motor a gasolina de 6 cilindros e 2,5 litros podeia levá-lo aos 202 km/h de velocidade máxima. o 0 a 100 era feito na casa doa 10 segundos.

Golf GTi (MK1)

A sétima geração do Golf GTi está pronta para chegar ao Brasil e isso nos faz lembrar do primeiro modelo com esta mítica nomenclatura… A primeira versão GTi do Golf surgiu em 1975. Ela contava com motor 1,6 litros de 110 cv de potência. O 4 cilindros podia levar o carro da imobilidade aos 100

Volkswagen Derby 1978

A versão sedã do Polo, de 1978, tinha a “cara” do nosso Passat. As linhas retas marcantes da época escondiam motores de 0,9 a 1,3 litros com até 60 cv de potência.

Cadllac Seville Elegante 1983

Com uma das traseiras mais emblemáticas de todos os tempos o Cadillac Seville Elegante 1983 era a segunda geração do modelo. Nesta base o carro durou de 1980 a 1985 e o seu motor V8 de 5,7 litros era muito beberrão e pouco potente para o seu tamanho: fazia 8,8 km/l na cidade e tinha

Assim eram os acidentes automobilísticos do início do século passado

Muito interessante este post sobre acidentes da ‘Era do Ouro” nos EUA, no primeiro quarto do século XX. As imagens do pos no Visual News mostram vários automóveis em situações de acidente. Todas as imagens são creditadas a Bosto Public Libary. Vejam clicando neste link mais fotos.

1994 Oldsmobile Cutalass Supreme

Feito na mesma base do Lumina, o Cutlass Supreme era o modelo da Olds na NASCAR. Ele tinha no nome tradicional seu maior apelo. As linhas clássicas davam uma “cara de mau” ao modelo. O motor de destaque era o 6 cilindros em linha de 3,4 litros a gasolina que rendia ao coupé 200 cv

Australianos icônicos

A Austrália é, sem dúvida, um país que conta com modelos de automóveis icônicos. Modelos exclusivos, feitos em bases consagradas, com linhas belas ou de gosto duvidoso. Para comemorar o “Australia Day” a revista Wheels publicou uma galeria de modelos considerados ícones na terra do Outback, como Holden Kingswood da imagem acima. Confira as imagens